Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Circo da Lama

"Se ele for para a Suiça, não lhe guardo as vacas", David Queiroz, pai de António, vencedor da Casa dos Segredos

"Se ele for para a Suiça, não lhe guardo as vacas", David Queiroz, pai de António, vencedor da Casa dos Segredos

Circo da Lama

31
Mai09

Toiro Lindo

Bruno Vieira Amaral

Sou contra as touradas, mas sou a favor das transmissões televisivas de touradas. São dois espectáculos diferentes. O primeiro depende do toiro. O segundo depende da escola de realização televisiva da RTP 1 e dos comentadores que são periodicamente resgatados das herdades de Samora Correia para os microfones da televisão pública. Estes Luises-freitas-lobos da tauromaquia substituem a periodização táctica pela ganadaria, o ponta-de-lança pela bandarilha e, vejo agora, aqueles tipos anónimos que estacionam atrás das balizas pela Helena Coelho. É um prazer vê-la entrevistar João Moura Caetano (que eu não sei se é filho do João Moura, do Paulo Caetano ou de Sérgio Aguero e neto de Diego Armando Maradona): “Senti-me bem. Senti-me toureiro” diz, emocionado, o cavaleiro. O meu sonho é ouvir Jorge Ribeiro na flash-interview, suado e esbaforido, a proclamar ao mundo: “Senti-me bem. Senti-me lateral-esquerdo que fecha bem e consegue fazer um cruzamento decente por jogo”. Neste momento, a câmara elege uma senhora de cabelo loiro e curto. O comentador diz que é a esposa de Joaquim Bastinhas, o que impressiona qualquer pessoa que, como eu, seja incapaz de identificar Joaquim Bastinhas, quanto mais a mulher dele. O cavaleiro agora é Marcos Bastinhas (isto das ganadarias não se fica pelos toiros). A coisa não corre bem e o comentador lança um passatempo: “em que ano se realizou a 1ª corrida TV?”. Os cinco primeiros espectadores a acertar recebem convites para a próxima corrida RTP. Tudo isto me parece tautológico e particularmente grave por se passar em Coruche. Adiante. Os países civilizados, como a Rússia, aceitam touradas à portuguesa desde que cubram o lombo do touro de velcro para que as bandarilhas não se cravem na carne do animal. Ficam ali num precário equilíbrio de jogo de setas para crianças. Isto é o mesmo que legalizar o casamento homossexual e proibir o sexo anal e os vibradores. Passemos à pega. O forcado António Macedo “provoca a investida do toiro” mas o toiro, com as suas inquietantes preocupações taurinas, ignora-o. O comentador insurge-se: “É muito aborrecido o comportamento destes toiros.” Helena Coelho acusa o toiro de não colaborar. Finalmente, o toiro investe, colabora e o mundo, em especial o que a estas horas sintoniza a RTP 1, sente-se recompensado.

Seguir

Contactos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D