Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Circo da Lama

"Se ele for para a Suiça, não lhe guardo as vacas", David Queiroz, pai de António, vencedor da Casa dos Segredos

"Se ele for para a Suiça, não lhe guardo as vacas", David Queiroz, pai de António, vencedor da Casa dos Segredos

Circo da Lama

16
Jun14

7700: Klose but no cigar

Bruno Vieira Amaral

As estatísticas e os factos sobre mundiais são enormes repositórios do insólito. Além disso, as estatísticas costumam ser burras, sobretudo quando na posse de cabeças burras, e os factos são sempre impiedosos, sem cuidar da sensatez mãos que os manejam. Vejamos, por exemplo, o curioso caso de Oleg Salenko, que foi, a par de Hristo Stoitchkov, o melhor marcador do mundial de 94. Fantástico! Que proeza incrível! Mais: cinco dos seis golos do avançado russo nesse torneio foram marcados no mesmo jogo. Contra os Camarões. Um jogo que já não contava para nada. Uma glória triste. Eu vi o jogo e, ao contrário do que sucedeu há poucos dias ao ver os golos da Holanda contra a Espanha, a sensação não foi a de ver uma das páginas mais inesquecíveis dos mundiais a ser escrita mas a de assistir, em directo, à elaboração de uma das mais extravagantes notas de rodapé de todos os tempos. Naquela tarde sob o inclemente sol californiano, cada golo desajeitado de Salenko, até atingir os cinco que serão o seu penhor para a eternidade, foi um prego na nossa sensibilidade, a sensibilidade de quem continua a acreditar que os quatro golos de Eusébio à Coreia do Norte, e até os quatro golos de Butragueño à Dinamarca, são registos infinitamente superiores ao do pobre Salenko que, contudo, marcou mais um, o seu incontestável argumento a favor dos factos. Consultem todos os almanaques e wikipedias e lá encontrarão a façanha acabrunhada de Salenko: melhor marcador daquele mundial e recordista de golos marcados num só jogo. É por isso que, hoje, a nossa selecção tem pela frente muito mais que o tão importante primeiro jogo. Cabe aos nossos jogadores, sobretudo ao quarteto defensivo e a o guarda-redes, evitar que Miroslav Klose, aquele panzer desengonçado, se torne o melhor marcador da história dos mundiais, o que seria um atentado futebolístico, uma ofensa estética e uma imortalização injusta pela via burocrática da estatística. Não pode acontecer. E se tiver de acontecer, se essa for a vontade dos deuses imbecis que abençoaram Salenko e todos os da sua igualha, então ao menos que o nome de Portugal não fique associado a mais uma infeliz, porém inapagável, nota de rodapé da história do futebol. Entre tantos e tão geniais avançados que aprimoraram a arte de marcar golos, que resistiram à ideia de que um golo é apenas a certificação fatal e desapaixonada de um processo anterior e que instituíram uma arte autónoma, o golo como momento independente da sequência contínua do tempo, suspensão temporária das leis da física, o mundo não pode permitir que seja Klose a figurar no topo. Depois de vermos o golo de Van Persie, aquela ordem ténue dada à bola em pleno voo, com as coordenadas exactas para sobrevoar Casillas, a coroação de Klose seria um insulto, uma mancha vergonhosa, um retrocesso civilizacional a ser chumbado até pelos conspícuos juízes do palácio Ratton. Se aquele senhor terminar este torneio como o melhor marcador de sempre, no dia seguinte estaremos todos, mentalmente, de regresso às cavernas. É preciso evitar semelhante tragédia. Se tudo o resto falhar, confiemos nas artes marciais de Bruno Alves e nos instintos homicidas de Pepe. Confiemos que o futebol encontrará maneira de escrever direito sobre as linhas tortas da estatística.

1 comentário

Comentar post

Seguir

Contactos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D