Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Circo da Lama

"Se ele for para a Suiça, não lhe guardo as vacas", David Queiroz, pai de António, vencedor da Casa dos Segredos

"Se ele for para a Suiça, não lhe guardo as vacas", David Queiroz, pai de António, vencedor da Casa dos Segredos

Circo da Lama

07
Jul14

7700: Minha querida Argentina

Bruno Vieira Amaral

Minha pobre Argentina,

 

Escrevo-te de Portugal, feliz por estares de novo nas meias-finais, 24 anos depois de Diego ter chorado, triste por chegares assim, coxa, sem alegria, clandestina, como uma mendiga a entrar sorrateiramente numa festa. Querida Argentina, a festa é tua, tu és a festa. Não jogues assim, por amor de Deus! Triste, arrastada, com uma única ideia na cabeça – Messi – que maquilha a absoluta ausência de ideias. Bem sei que em Itália também chegaste à final aos trambolhões. Nesse campeonato, os teus adeptos festejaram cinco golos, menos um que o melhor marcador do torneio, uma coisa que aconteceu como certos cometas acontecem e que se chamava Salvatore. Cinco golos em sete jogos, querida Argentina! O teu herói, o nosso herói, foi aquele rapazito Goicoechea, guardião que só foi para a baliza após a lesão do mítico Pumpido e que defendeu penalties de toda a gente que vivia entre os Balcãs e a Sardenha, e só não pôde defender aquele miserável golpe do alemão. Mas essa equipa tinha o Diego, que já não era o Diego de quatro anos antes, era outro, mais lento, mais gordo, mais rato, capaz de quebrar milhões de corações transalpinos e continuar a ser adorado em Nápoles, mas ainda era o Diego, e nós queríamos que ele ganhasse, fosse lá como fosse. Nos mundiais seguintes, já queríamos que jogasses bem porque chegavas carregadinha de astros – Ortega, Redondo, Riquelme, Verón, Saviola, Aimar, Claudio Lopez, Simeone, Maxi Rodriguez, Carlos Tevez, Aguero, Pastore, Crespo, Batistuta – e já não havia Diego para te perdoarmos o mau futebol. Salvo um ou outro jogo, nunca te redimiste e acabaste sempre por cair, jogando melhor ou pior, antes das meias-finais. E agora é aí que te encontras empurrada pelos argentinos de nacionalidade que atravessaram a fronteira mas com os outros, argentinos de coração, de pé atrás por jogares tão pouco que se torna penoso assistir aos teus jogos, somente à espera que marques o golo que te há-de apurar, cada vez com menos esperanças que nos surpreendas e que jogues aquilo que sabes, aquilo que fazia com que valesse a pena chorar por ti quando perdias, querida Argentina. Vá lá, não é difícil, dá-nos só um cheirinho de futebol, só um poucochinho que nos engane, que alimente a nossa ilusão de que em campo és a mais bela, que te compadeces com o sofrimento do adepto que olha para as Alemanhas e para os Brasis e sente uma dor no peito por nunca poder amar aquelas selecções. Vá lá, Argentina, deixa-te de merdas e joga à bola.

Seguir

Contactos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D